A Alemanha eh desconfortavel com seu passado e nao sabe lidar com ele. Dito por um alemao.
Na queda do muro, decidiram derrubar tudo. Deixaram apenas uma parte bem pequena proxima ao Checkpoint Charlie – que era o posto de controle de imigracao entre os lados oriental e ocidental.
Anos depois, perceberam que estavam destruindo seu passado e provavelmente deixando de ganhar dinheiro com turismo.
Em 2000, resolveram reconstruir 1200m do muro. Chamaram varios artistas para expressar no muro seus sentimentos sobre a guerra, o muro, a guerra fria. Eis que surgiu a East Side Gallery.
Vale a caminhada, e fica como dica do dia. Tem pinturas bem interessantes, e inumeras interferencias de gente que vai passando e deixando seu recado. Fotografei as que me chamaram mais atencao. Inclusive um capixaba de Vitoria (viu, Dani???) que deixou seu recado. Pena que ainda nao consigo postar fotos aqui.

No final dos 1200m de muro, tem uma ponte que eh uma das unicas (senao a unica) sobrevivente depois da guerra. Acaba de ser restaurada. Eh bem bonita e destoa do resto da paisagem dessa Berlim reconstruida. Tambem vale passar por ela.

Vale ressaltar que, durante a guerra fria, o lado oriental do muro nunca foi pintado, mas somente o ocidental. As famosas imagens de pessoas quebrando o muro com marretas foram todas feitas do lado ocidental, e portanto todos os pedacinhos de muro coloridinhos e vendidos como souvenirs sao do lado ocidental. Apesar da midia ter noticiado como a alegria do lado oriental com a queda do muro.

Os movimentos estudantis/juvenis que pipocavam do lado oriental eram pela liberdade de expressao – nao pela queda do muro necessariamente. Do lado oriental, nao houve ninguem marretando muro.

Um pouquinho de historia pra vcs 🙂

Anúncios