Desde meu primeiro dia aqui, estava intrigada por ver tantos souvenirs com desenhos e pinturas de gatos. Todos sempre na Old Town ou no Jewish quarter. Eh gato para todos os lados.

Nao preciso nem dizer pra quem, mas inspirada pelos gatos, resolvi comprar um presente. Havia visto no dia anterior, e soh lembrava que era nos fundos do antigo cemiterio judeu. Cheguei ao cemiterio judeu, mas nao achava o tal beco. Enfim, resolvi comprar o ticket para o tour no jewish quarter, pq assim poderia entrar no cemiterio e sair pela porta dos fundos, chegando ao tal beco. Pequena fortuna de 29 reais, em um lugar onde eu venho pagando no maximo 12 reias para qualquer museu ou exposicao. Para ver um cemiterio, e algumas sinagogas – sendo que nao eh permitido entrar na sinagoga. Basicamente, vc ve a entrada e uma ou outra sala aberta. Os judeus mantem sua fama.

Mas enfim, achei o tal beco e o presente foi comprado. Eh uma gracinha, mas mesmo que nao goste, terah que dizer que AMOU, viu???

Perguntei ao cara que me vendeu o presente o porque de tantos gatos. Ele disse ser porque as senhoras judias que habitavam aquele quarteirao gostavam muito de gatos, e sempre tinham varios. Nao me pareceu muito convicto dessa explicacao nao, mas tudo bem, resolvi acreditar 🙂

E finalmente, o jazz. Encerrei meu dia numa jazz house – eu e mais meia-duzia de gatos pingados – jah que a noite por aqui nao eh muito agitada durante a semana. O jazz tcheco eh muito conceituado, pq foi desenvolvido por aqui jah que ficaram isolados do mundo durante o comunismo. Atualmente, o jazz tcheco moderno impressiona a critica americana, e Praga se diz a capital do jazz na Europa.
Eu gosto de jazz, apesar de nao ser profunda conhecedora, mas com vocal. Sem um vocalzinho, eu canso rapido. Mas valeu a ida.

Anúncios