Voltar pro Brasil é meio estranho.
Um gostinho de quero mais. Um misto de tristeza e alegria.

É bom ver o mar, sentir o calor, rever a família, ouvir português, música brasileira, falar com os amigos.

Mas o trânsito me irritou, o guardador da minha rua mais ainda. A maré no caminho de volta pra casa. Fechar a janela e ligar o ar porque é perigoso. Lembrar que, apesar de ser elite por aqui, tenho que ralar muito para levar uma vida descente. 1000 impostos, plano de saúde, previdência privada. E a consciência de que reclamo de barriga cheia, porque sou a minoria da minoria da minoria que pode se dar ao luxo de largar o trabalho, viajar e decidir dar um tempo para repensar a vida. E na Europa, todo mundo viajando pra todo canto… Tudo é tão mais fácil.

Talvez o meu destino não esteja aqui. Talvez eu durma e acorde melhor amanhã. E ainda esqueci meu caderninho com todas as anotações da viagem no avião. Fiquei arrasada.

Certamente acordarei melhor amanhã. Enquanto isso, vou postar mais historinhas da viagem.

Anúncios