Amsterdã não fez sua fama por ter bons museus. Além do Van Gogh, o outro único razoável que achei por lá foi um museu de fotografia, chamado FOAM.

Dentre outras exposições, estava em cartaz uma chamada “The Kate Show” – inspirada no ícone da moda e dos fofoqueiros de plantão Kate Moss. Eis a definição oficial:

“The Kate Show is an investigation into an image that reflects an age in which the fashion world feeds the art world, and vice versa, in which photo models have become super-women and in which minor private misfortunes become inflated out of proportion into world news. The artists in this show explore the rise of a phenomenon, the effect of the media and the creation of an icon based on images. Kate Moss is the personification of an empty canvas on which everyone projects his or her own desires, ideas or frustrations.”

Dentre outras coisas, a “exposição” contava com um longo e estreito espelho no chão com fileiras de cocaína (supostamente, claro), que ficava entre várias fotos alteradas da carreira da modelo. No centro da exposição, uma suposta matéria de jornal informando que Kate Moss morreu aos 33 anos, vítima de overdose, deixando uma filha pequena, e que contava detalhes das circunstâncias da morte e da vida banal, fútil e sem sentido da modelo. Entre outras coisas de um mau-gosto similar.

Ok, entendi o conceito de uma investigação sobre o poder da mídia na criação de ícones. Só que mais me pareceu uma ode a esse tal de poder do que uma investigação imparcial. E um desrespeito enorme a Kate Moss que, vale ressaltar, é das figuras mais reservadas (e conturbadas, ok) do mundo da moda – dificilmente aparece em entrevistas ou topa ir para alguma ilha passar um feriado em troca de algumas páginas de revista. E que, ironicamente, por isto mesmo deve ter sido a figura escolhida como protagonista da exposição.

Quando vejo coisas assim, fico me questionando que diabos é essa tal de arte moderna. E quais limites existem pra isso. Não sei dizer exatamente quais são os limites, mas “The Kate Show” certamente os ultrapassou.

E você, o que acha?

Anúncios