Nas duas últimas semanas, a Orla Rio e Prefeitura inauguraram vários dos novos quiosques da orla, em Copacabana.
É inquestionável que os novos quiosques são lindos. E que a infra-estrutura irá melhorar e muito, com sistema de esgoto, depósitos subterrâneos, banheiros com chuveiros privados, lockers, aluguel de toalha. Claro que acho isso tudo muito bom.

Apesar de não questionar o projeto arquitetônico, acho que há outra pergunta mais importante no momento: para quem essa revitalização da orla está sendo feita?

** Para os cariocas? Quais cariocas?
A praia é o local mais democrático do Rio – sempre de encontro a crescente segregação social que vemos por aí.
Na praia tem espaço pra todo mundo, sem distinção de raça, credo ou classe social.
Tem a galera esportiva do vôlei, futevôlei, surf. A galera da cervejinha e batucada. Os ciclistas. Os mais antigos moradores em suas caminhadas matinais e vespertinas. As dondocas com seus personal trainers. Ginástica para a terceira idade. A criançada brincando pela areia.
Tudo isso dá o tom, o charme e o jeitinho de nossas praias.
Ah, mas isso tudo continuará por lá… Só que com cervejinha a R$3,50, caipirinha a R$12 e a água pós-exercício a R$2,50. Tudo com 10% de serviço. Afinal, a qualidade do serviço é fundamental. Deu vontade de uma água de coco estupidamente gelada? Só sentar no São Luiz e pedir a R$3,50 servida em jarrinha. Não esqueça dos 10% de serviço.

** Para os turistas?
Afinal, com uma vocação turística dessas, temos que aproveitar. A nova orla irá gerar empregos, trazer mais turistas para o Rio.
Grande parte dos turistas do mundo sonham com uma caminhada no calçadão de Copacabana, regada a água de coco.
Uma caipirinha original e saborosa na beira da praia, acompanhada de um bom camarão frito. Ou de uma porção de sardinha frita.
Tudo na maior descontração genuinamente carioca. Curtindo uma batucada, assistindo a um futevôlei. Sentindo-se parte dessa grande festa. Impressionados com a alegria desse povo, que deixa de lado todos os problemas em troca de uma cervejinha a beira-mar.
Eis que turistas agora terão o privilégio de degustar um excelente champagne francês a beira mar, saboreando um pato ao molho de laranja. Ou então uma boa e quente massa, acompanhada de um excelente vinho espanhol.
Ou melhor ainda, saborearão o melhor Big Mac de suas vidas com vista para a praia de Copacabana.
Nada mais genuíno que isso, não? Além da cor do mar, qual a diferença disso pro Caribe??

E aí? Sobrou quem?

A minha segunda pergunta dá título ao post… Alguém sabe me dizer??

Anúncios