Sabe aquelas pequenas coisas que você odeia desde sempre, mesmo sem nunca ter entendido bem o porquê?
Tenho várias, mas aqui vou citar só cinco:

1. Contar. Contar qualquer coisa, eu odeio contar. Repetição de exercícios, voltas na piscina, tempo de permanência. Exercício bom é exercício que não conta.
2. “Viu aquilo?””Onde?””Ali atrás!”. E eu preciso virar meu pescoço para olhar pra trás. Odeio virar o pescoço pra trás, assim só o pescoço, quando não dá para girar o corpo todo. Muito comum quando estou de carona e o motorista insiste em que eu veja algo que já passou. Prefiro olhar sempre pra frente – figurativo ou literal.
3. Barulhinho de unha arrastando em qualquer tecido que seja. ODEIO, ODEIO, ODEIO. Deveria ser o primeiro da lista.
4. Aquela cutucada no ombro por alguém que parece que perdeu a língua. Custa chamar ao invés de cutucar?
5. Gente que precisa tocar pra falar. Preciso do meu espaço respeitado, o que ocupo e mais um metro a minha volta, por todos os lados. Eu vou entender o que você quer dizer mesmo que você não encoste em mim, acredite.

E pretendo seguir minha vida evitando-as. Dá pra viver sem elas. Por favor, colabore.
Desculpem-me meus queridos leitores, mas acordei antipática hoje.

Anúncios