Fui ao show dela há alguns dias, quis comentar aqui, só agora achei tempo.
Joss Stone é mesmo uma diva com aquela voz de negona-americana disfarçada num corpinho de lorinha esbelta. Impressionante. E gosto desse soul com uma coisa meio pop que ela faz.
Li em uma entrevista ela dizer que passava dias ouvindo Aretha Franklin e Janis Joplin em seu quarto, um dia resolveu imitar e aí as pessoas gostaram. Simples assim.
(em tributo a Janis Joplin com a não menos impressionante Melissa Ethridge – roqueira de primeira)

* não consegui achar vídeos de Joss no seu estilo soul-pop com qualidade de som e imagem razoáveis. mas se estiver curioso, procure por ‘joss stone vivo rio’ no youtube. dá pra ter uma idéia. ou baixe a discografia. ou vá entender porque você ainda não conhece Joss Stone 🙂

***
Amy Winehouse foi internada, diagnosticaram um enfizema pulmonar, sai do hospital e vai fumar e beber, continua a visitar o marido na cadeia, já foi pra delegacia por agressão em bar, pagou mico no Rock in Rio Lisboa, e de repente faz volta triunfal no show de tributo ao Mandela. Ela vai na mesma onda do soul de Joss, mas surpreendentemente, de uma forma mais conservadora: no ritmo, não nas letras. A mulher abala.
Fico imaginando se ela terá fôlego pra mais, porque por mais que eu goste dela, “Rehab” e “You know that I’m no good” já estão muito perto de ter dado o que tinham pra dar. Mesmo assim, Amy rocks.
(Free nelson mandela, no tributo)

(e num momento mais low profile, pra quem ainda não entendeu porque ela é tão boa)

* e você também não acha que a Amy que devia cantar Janis Joplin de vez em qndo?

***
E Cyndi Lauper voltou, anos depois, com o novo CD “Bring ya to the brink”.
O carro chefe do CD é a “Same old fucking story”, mas de “same history” só identifiquei uma coisa: ela continua ótima. E mostrando uma qualidade que eu admiro nos artistas: pegar algo nem sempre tão bom, mesclar com seu estilo e fazer algo ótimo. Eu implico com essa coisa eletrônica a maior parte do tempo, mas Cyndi fez um hit super dançante, gostoso, sem abafar a potência da sua voz que é o que eu sempre acho que acontece nesses casos. A moça tem talento.
E continua meio-louca, louríssima, mexendo os braços numa dança estabanada e super simpática.
Tá prometendo vir ao Brasil em novembro. Estarei lá. ‘cause girls just wanna have fun 🙂

(porque vale a pena recordar)

(same old fucking history)

Anúncios