You are currently browsing the daily archive for 25 novembro, 2008.

05 de dezembro estréia “Entre lençóis” nos cinemas, com Gianechinni e Paola Oliveira interpretando dois estranhos que se conhecem numa boite e acabam em um motel para o que seria uma noite de sexo casual, mas acabam se apaixonando no decorrer da noite. O filme todo se passa no quarto do motel, os dois nus o filme inteiro. A produção é brasileira, mas o filme é dirigido pelo colombiano Gustavo Nieto Roa.

Não lembro se foi em algum festival ou se foi em Caracas, mas lembro de ter visto um filme cujo título em português era “Na cama” (ok, tirei a dúvida, eu vi em algum festival do Rio) com exatamente o mesmo enredo. Imdb.com me comprovou: “Na cama” era sobre dois estranhos que se conhecem numa boite, decidem passar uma noite no motel para um sexo casual e se apaixonam. Eram Daniela e Bruno, um deles se casaria no dia seguinte e isso se revela ao longo do filme. Assim como Paula, que na versão brasileira revela a Roberto que a noite na boite era sua despedida de solteira.

Eu não amei o “Na cama”. Achei forçado, eles tentam reproduzir toda uma relação, seus ápices de paixão e crises em uma só noite. Acredito ser possível apaixonar-se em uma noite, mas convenhamos que uma noite até é suficiente para se chegar ao ápice da paixão, mas daí a crises e reconciliações é muito pouco tempo, não? Pelo que li da entrevista de Paola, a versão (já me autorizei a chamar de versão) brasileira, tem a mesma pretensão de refletir várias etapas de um relacionamento.

Eu não implicaria tanto se alguma entrevista que li sobre “Entre lençóis” mencionasse o “Na cama” como inspiração. Mas até agora, das que li, nenhuma fez a referência. Tô achando feio. E tenho dito.

Anúncios

Deise em pensamento:
quando acabar a obra, vou dedetizar minha casa. qual era mesmo aquela empresa que chamei quando me mudei?

E, como num passe de mágica, me peguei cantarolando: “2 5 6 9 6 9 6 9, insetisan. é um pouco mais caro. ah, mas é muuuuuuuito melhor!” Se eu tivesse um gravador na hora, gravava e colocava aqui pra vocês, mas irei poupá-los disso 🙂

Tá pra existir propaganda melhor que essa, que ouço desde criança: confessa ser mais caro mas mesmo assim eu você e todos nós ligamos. É uma lavagem cerebral. Dá até medo.

Outras excelentes propagandas me vêm a cabeça, mas confesso que estou até hoje esperando as tais coisas que – tum! – só a Philco faria por mim. Nunca comprei Philco. Por outro lado, ainda mantenho um cartão de crédito que quase nunca uso, só porque eles sabem que tem coisas que o dinheiro não compra mas para todas as outras existe o Mastercard. E eu quis muito uma Calói, ganhei uma Cecy, e não me deixou nenhum trauma. O tal do baleiro não foi do meu tempo, e cremogema ficou sendo a coisa mais gostosa desse mundo só na música mesmo. nunca gostei. e o melhor plano de saúde é viver. o segundo não é o meu. o que pago não chega a ser uma brastemp, mas dá pro gasto. compro gilette, modess e tiro xerox até hoje. dá mesmo medo, né não?

De tudo um pouco:

Conheça também:

O Jardim em fotos

Por onde viajo…

novembro 2008
D S T Q Q S S
« out   dez »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Anúncios