05 de dezembro estréia “Entre lençóis” nos cinemas, com Gianechinni e Paola Oliveira interpretando dois estranhos que se conhecem numa boite e acabam em um motel para o que seria uma noite de sexo casual, mas acabam se apaixonando no decorrer da noite. O filme todo se passa no quarto do motel, os dois nus o filme inteiro. A produção é brasileira, mas o filme é dirigido pelo colombiano Gustavo Nieto Roa.

Não lembro se foi em algum festival ou se foi em Caracas, mas lembro de ter visto um filme cujo título em português era “Na cama” (ok, tirei a dúvida, eu vi em algum festival do Rio) com exatamente o mesmo enredo. Imdb.com me comprovou: “Na cama” era sobre dois estranhos que se conhecem numa boite, decidem passar uma noite no motel para um sexo casual e se apaixonam. Eram Daniela e Bruno, um deles se casaria no dia seguinte e isso se revela ao longo do filme. Assim como Paula, que na versão brasileira revela a Roberto que a noite na boite era sua despedida de solteira.

Eu não amei o “Na cama”. Achei forçado, eles tentam reproduzir toda uma relação, seus ápices de paixão e crises em uma só noite. Acredito ser possível apaixonar-se em uma noite, mas convenhamos que uma noite até é suficiente para se chegar ao ápice da paixão, mas daí a crises e reconciliações é muito pouco tempo, não? Pelo que li da entrevista de Paola, a versão (já me autorizei a chamar de versão) brasileira, tem a mesma pretensão de refletir várias etapas de um relacionamento.

Eu não implicaria tanto se alguma entrevista que li sobre “Entre lençóis” mencionasse o “Na cama” como inspiração. Mas até agora, das que li, nenhuma fez a referência. Tô achando feio. E tenho dito.

Anúncios