Aguardava Shirley – atendente simpática de companhia aérea nacional de grande porte – buscar as melhores opções de vôos e tarifas para minha requisição de troca de um trecho de um ticket já comprado. Sempre tenho curiosidade para ver a telinha dos atendentes de cia aérea, de tanto que eles digitam e do tanto que demora. Me parece mesmo muito complicado. Ao meu lado, um senhor simpático de 2m de altura era atendido por Otávio que buscava incessantemente vaga em algum vôo para Los Angeles entre julho e setembro, que o senhor dos cabelos brancos pagaria com suas milhas. Em um de meus raros momentos de simpatia com estranhos – talvez porque estávamos os dois vítimas do sistema lento e atendentes simpáticos – abri o diálogo sobre vôos, milhas, aeroportos, sistemas lentos e aviões apertados. Shirley se ausentou para alguma tarefa misteriosa que demorou uns bons 10 minutos, e o papo fluía entre Deise simpática, senhor de 2m e Otávio. Já éramos praticamente amigos, o papo já pairava sobre família, esportes e comida favorita quando Otávio confessou: “meu nome de verdade é Diego”. E eu que achava que só militar, travesti e Drag Queen tinham nome de guerra. Diego escolheu o nome Otávio de uma lista que lhe foi apresentada, e logo seus colegas de aeroporto passaram a chamá-lo de Tavinho. Tavinho estranha quando sua mãe lhe chama Diego, afinal é uma pena mas “passo mais tempo aqui do que com minha família” – lamentou Otávio, ou quem sabe Diego. Papo vai, papo vem e vejo Shirley voltando com alguns papéis e anotações – certamente as minhas opções de troca. Imediatamente, pensei: porque será que ela escolheu Shirley? Talvez não tenha escolhido, quem sabe lhe foi imposto, afinal ela não tem cara de quem escolheria Shirley, nome tão feio. Pensei, mas não falei. Meu amigo de 2m me salvou: “E você, Shirley? Qual seu nome verdadeiro?” E Diego Tavinho se antecipou e logo disse: “a Shirley é das antigas, a única aqui que usa o nome original”. Ufa. Felizmente, mantive minha boca calada e Shirley seguiu simpática e finalmente troquei meu trecho sem multa ou diferença de tarifa. Saí feliz do aeroporto e no caminho de volta ao trabalho, pensava qual codinome eu gostaria de usar por lá. Concluí em 10 minutos de táxi, e lhes apresento Helena. Que nada tem de sofredora de Manoel Carlos, simplesmente acho que Helena combina com meu estilo sério e controlador. Hoje me chamaram de ‘muito séria’, e foi uma crítica. Vou correndo contar para a Helena. Mas nem só de críticas foi feito meu dia: homens de meia-idade aglomerados em uma mesa de boteco comentaram ao me ver passar: “nossa, olha a postura dela!”. Até sorri para eles, devo estar mesmo em crise de simpatia hoje. É que nunca havia ouvido um elogio a minha postura assim publicamente, muito menos de frequentadores de boteco as 3 da tarde. Vai ver é postura de Helena, que havia acabado de nascer. Não sei dizer. Mas gostei, viu?

Anúncios