Cresci e ainda brotam as brotoejas.
Cresci e ainda tenho medo das baratas.
Cresci e o medo do escuro não foi embora.
Cresci, mas ainda adoro todas as lagartixas.
Cresci, mudei de casa, e o banheiro segue sendo meu cômodo preferido.

Leite de magnésio, roupas frescas, receita de mãe.
Jato forte d’água, afogada, lição de irmã mais velha.
Canto música, torço para não durar, esse sempre foi solitário.
Chamo de Stephanie, apresento aos amigos, salvem as lagartixas.
Privada, privacidade, me privo de pensar na vida, nos outros, no mundo. relax.

Por vezes, não sei se cresci.
Na maior parte do tempo, não parece.
Ney Matogrosso foi embora do Rio, e eu não vi.

(da minha mente, atualmente, só saem coisas assim, meio esquisitas. não se assuste, querido leitor. e não me deixe só, que eu tenho medo do escuro. eu tenho medo do inseguro. do fantasma da minha voz. de deise chata da mata)

Anúncios